Google

Translate my page Google

23 de jul de 2015

Digitais do espírito


Muito antes dos cientistas forenses se interessarem por impressões digitais para identificação humana, sociedades anteriores fizeram sua própria busca a fim de estigmatizar os criminosos.

Métodos antigos de identificação biométrica consistiam em infligir cicatrizes, marcar com ferro em brasa, tatuar, bem como mutilar -  mãos ou pés (e em alguns países, ainda é) - uma atitude extrema, mas efetiva de marcar um infrator das leis sociais.

Mas alguns métodos de identificação desapareceram na maioria dos países na primeira metade do século XVIII quando a civilização desenvolveu um sistema de lei criminal e maior importância do indivíduo na sociedade. Sem uma “marca” na reincidência dos crimes, o delinqüente passou a assumir uma falsa identidade.
 
Jennifier Lawerence (nasceu 1990) e Egipcia Zubaida (morreu 1987)
Em 1870 Henry Faulds, Cirurgião britânico, superintendente do Hospital de Tsukiji em Tóquio no Japão, começou seus estudos depois de notar marcas de impressões digitais em cerâmicas pré-históricas.

Faulds não só reconheceu a importância das impressões digitais como um meio de identificação, mas também inventou um método de classificação para as mesmas. Ele provou que as impressões digitais não mudam no curso da vida de um indivíduo, e nenhuma impressão digital é exatamente igual a outraMas foi Francis Galton que identificou as características pelas quais podem ser identificadas essas impressões digitais.

Ainda não foi possível comprovar a reencarnação através das impressões digitais, mas esse caminho já começou a ser seguido em 1999 por João Alberto Fiorini.

Fiorini é delegado de polícia atuando na Agência de Inteligência do Paraná/BR, especialista em impressões digitais, e está confiante que é possível confirmar um caso de reencarnação utilizando uma forma de pesquisa científica.

O delegado se animou depois que leu o caso de Carlos Bernardo Loureiro (1935), um dos grandes estudiosos do assunto que gostava de comparar impressões digitais, mas que se surpreendeu com um caso específico de um menino que tinha a mesma impressão digital de um homem que já havia falecido há 10 anos.

Fiorini partindo do pressuposto de que não é possível existir duas impressões digitais iguais, investiu em um estudo profundo sobre esse tema pesquisando tudo o que poderia existir em livros brasileiros e norte-americanos, na área da Medicina, para entender por que as pessoas têm impressões digitais, impressões palmares e as linhas nas mãos e nos pés.

No livro - Anais Brasileiros de Dermatologia - do Dr. Agnaldo Gonçalves, professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, aponta que os desenhos formados nas mãos e pés estariam ligados ao script genético, variando de mão para mão, de raça e de sexo.


Se você verificar as impressões digitais das mulheres, vai ver que elas têm uma tendência maior à presilha, que é um tipo específico de desenho”. Informa Fiorini,

Seguindo uma pesquisa realizada anteriormente em Cambridge, Inglaterra, Fiorini também observou as digitais de homossexuais. O estudo inglês havia mostrado que os homossexuais apresentavam características de impressões no polegar direito que se aproximavam das características femininas.

Com uma pesquisa realizada principalmente com travestis, o pesquisador brasileiro comprovou que as digitais apresentavam a presilha de uma digital feminina quando o comum é que os homens não apresentem a presilha, mas sim, o verticilo, outro tipo de desenho.

Observou também que as digitais de mulheres criminosas, que deveriam apresentar presilha apresentavam a incidência maior de verticilo, uma característica masculina.



Isso me surpreendeu muito, e comecei a ver nas impressões digitais algo a que as pessoas não deram muita importância, como se não tivesse interesse científico.” diz Fiorini

Vendo pelo lado espiritual, uma pessoa, ao desencarnar, fica vagando no plano espiritual, perdida, confusa, sem entendimento do que era e do que é realmente. Sua única meta é tentar voltar para perto dos seus entes queridos ou sua vida anterior...

Em outras palavras, ela tanto pode reencarnar rapidamente, quanto pode demorar um tempo mais longo; mas o mais comum é que essa reencarnação ocorra dentro de um período curto, é o que já sabemos.

E isso faz um link com as inúmeras aparições de crianças com talentos fora do normal. De onde elas tiraram essas habilidades? Como conseguem fazer uso de tecnologias que os mais velhos não assimilaram muito bem? Seriam almas recentes? Almas que já tinham conhecimento do nosso “presente”?

Se imaginarmos que uma pessoa morre e retorna rapidamente, em mais ou menos 2 anos, porém ocupando o corpo de um sexo diferente do anterior, ela virá então trazendo características não compatíveis com aquele “corpo” e comportamento divergente da família que está inserida.

Dr. Hernani Guimarães Andrade, presidente do Instituto de Pesquisas Psicobiofísicas, em Bauru, São Paulo, um dos maiores cientistas do mundo em assuntos de reencarnação, também é um nome muito respeitado por parapsicólogos, não apenas do Brasil, mas de todo o mundo, bem como o trabalho do Dr. Ian Stevenson, que já investigou mais de 3 mil casos de possíveis reencarnação, baseando-se em depoimentos de crianças entre 3 a 6 anos, nos aponta que estamos no caminho certo para decifrar mais esse enigma da nossa história.

Fiorini questionou Dr. Hernani se seria possível um espírito retornar com a mesma digital - e para sua surpresa, ele respondeu que sim - acreditava ser possível; baseado na premissa de que muitas pessoas apresentam marcas, sinais, cicatrizes, deformações e até mesmo sintomas de vida anterior, por que não com as mesmas impressões digitais?

Dermatoglifia
Vem sendo bastante utilizada na área do desporto, pois através dessa, é possível analisar as qualidades físicas de um atleta através das digitais por onde é possível analisar o potencial e as aptidões esportivas direcionando o atleta para a área ou posição que ele tem maior aptidão, entre outros.

Palingenesia 
A palavra é um termo que corresponde a conceitos semelhantes na história do direito, filosofia, teologia, da política e da biologia. Ela vem do grego Palin (de novo) e gênese (nascimento). 

Esta doutrina afirma que cada ser vivo tem um ciclo de existência, a partir do nascimento, através de sua existência após a sua morte a reencarnação. Em alguns casos, tem sido chamado de “eterna recorrência". A literatura sugere que este ciclo se repete uma e outra vez, assegurando a continuação da evolução dos seres humanos.

Vamos ver o que pregam alguns textos antigos religiosos para entender por que estamos presos a esse ciclo reencarnatório. 

VEDAS
Vedas ("conhecimento" em Sânscrito) - Conjunto de princípios, doutrinas e práticas religiosas que surge na Índia a partir de 2.000 a.C., objetivo é superar o ciclo de reencarnações (samsara) para atingir o nirvana.

NIRVANA
Sabedoria resultante do conhecimento de si mesmo e do Universo.


BHAGAVAD-GITA
O Bhagavad-gita diz, literalmente: “O Homem Real, isto é, o Espírito do Homem, nem nasce, nem morre; inato, imortal, perpétuo e eterno, sempre existiu e existirá. O corpo pode morrer ou ser morto e destruído; porém aquele que ocupou o corpo permanece depois da morte deste”.

FILOSOFIA YOGA
Sânscrito yoga-s, literalmente "união, se unir" (com o Espírito Supremo), da raiz PIE * yeug- "para se juntar". Ensina que a alma reencarnará na Terra tantas vezes quanto for preciso, para se tornar capaz de passar a planos superiores de existência. Nesta filosofia a lei de causa e efeito e a lei de atração, em que o igual é atraído por um igual, tem um grande efeito.

ZULUS
Reencarnação aperfeiçoamento gradual do individuo, até que o retorno não seja mais necessário.

BALINESES – (INDONÉSIA)
Tem forte tradição na reencarnação, crêem que as pessoas renascem repetidas vezes na mesma família.

BUDISMO MAHAYANA
O Budismo introduziu a reencarnação na China e se tornou uma das religiões populares, no Japão e em outros países. Infelizmente se transformou em religião de ritualismo, dogmas e cerimonialismo, perdendo muito da filosofia original. A raiz do budismo acredita que os que atingirem a iluminação não precisaram encarnar mais, fazem-no apenas por compaixão à humanidade ainda em sofrimento.

CELTAS
Acreditavam que após um número de vidas, possam atingir um “Céu Branco” onde se tornariam "conscientes de Deus". Após cada morte, a alma tem um período de descanso.

DRUÍDAS
Tidos como bárbaros, os antigos druidas, principalmente os que viviam na Gália (hoje França e Bélgica), sustentavam uma admirável concepção filosófica e mística a respeito da imortalidade da alma. Seus sacerdotes eram famosos pelo nível de sabedoria. Os gauleses chegaram a dar, a cada criminoso condenado, um prazo de 5 anos, depois da sentença de morte e antes da execução, para que se preparasse para o estado futuro, através do cultivo da vida anterior. 

ESQUIMÓS OCIDENTAIS
Acreditavam na reencarnação, acreditam em cincos estágios ascendentes após a vida, entre eles reencarnações sobrepostas, em que alguém renasceu antes da personalidade previa ter morrido.

OKINAWA
Ao Norte do Pacífico acreditam que a alma deixa o corpo 49 dias após a morte. Depois de um período não maior que 7 gerações, a alma retorna num corpo cuja aparência lembra a encarnação prévia.

EGIPCIOS
Foi a pátria dos mais elevados ensinos ocultos, e segundo Heródoto, a pioneira na crença da imortalidade da alma. Ensinava em sua pureza original a doutrina dos vários “invólucros” do homem, como o corpo físico, o corpo astral e o duplo etéreo. Os Egípcios acreditavam que depois da morte a alma habitava durante 3 mil anos em todo tipo de encarnação vegetal e animal, e só então, retornava como humana.

CALDEUS
Sua sociedade secreta sustentava a doutrina da reencarnação como uma das suas verdades fundamentais. Seus mestres, chamados “Magos”, acreditavam que a alma evoluída, após várias encarnações, encaminhava-se a um estado de suprema felicidade, no qual podia lembrar-se de todas as suas vidas anteriores e não precisava mais encarnar. Com esse tesouro de sabedoria, passaria a ajudar e guiar as raças futuras que surgissem na Terra. Para eles todos os seres vivos eram variantes manifestações do Ser Uno.

GRÉCIA
Famosa por seus grandes filósofos, a Grécia teve também grandes ocultistas e místicos. Sua visão sobre a reencarnação originava-se dos “Mistérios Órficos”. Segundo a doutrina órfica, a pessoa é formada de um pequeno elemento divino e um grande e mau elemento tirânico. Os humanos precisam aprender a eliminar o elemento tirânico dentro de si. Isso leva necessariamente muitas encarnações, a partir das quais a libertação é possível. A recompensa e a punição virão nas próximas reencarnações humanas ou animais

CABALA
Escritos Secretos, é a principal base Esotérica dos Judeus. Segundo ela, todas as almas, entre longos intervalos de descanso e purificação, são sujeitas a repetidos renascimentos. Nestes, há um esquecimento total das vidas anteriores. A finalidade é purificar-se, evoluir e atingir a perfeição.



Cardeal Cesare Borgia, foi o modelo para estas pinturas 
do "novo rosto de Jesus" (ariano) para a "nova" igreja católica.
Na primitiva igreja cristã havia uma doutrina esotérica e, parte dela, consistia no ensino da preexistência da alma. Essa doutrina era conhecida como “Mistérios” ou “Ensinos Íntimos” e não era revelada as massas. Os escritos dos primeiros padres da igreja cristã estão repletos de muitas alusões a esses mistérios. Orígenes escreveu muito sobre essas coisas.

ISLÃ
Embora não tenham uma crença explícita na reencarnação, algumas seitas muçulmanas acreditam nela, de um modo fatalista, que conduz o homem a uma quietude e a uma indiferença inimigas de todo o progresso e que negam o livre-arbítrio. 

SUFIS
Nesta seita, influenciados por Zoroastro, crêem na reencarnação. Segundo eles a alma imortal entra neste mundo por um curto período para ganhar experiência. Ela pode ter descido de esferas superiores ou estar trabalhando para a sua ascensão, a partir da esfera inferior. O número de reencarnações é pequeno, pois consideram a progressão e o retrocesso da alma como um processo de autofortalecimento.

HINDUÍSMO
O conceito geral hinduísta é que as almas humanas originam-se do Ser Supremo e essencialmente permanecem idênticas a Ele. Muitas encarnações sucessivas provocam uma involução gradual, fazendo que as almas se esqueçam de suas origens, confundam-se e se entorpeçamMas gradualmente, por meio de outras experiências ao longo de sucessivas encarnações, as pessoas começam a perceber para onde devem retornar. Então, cada vida é um empenho para o retorno. Ficar preso aos fascínios do mundo material é um erro.

SAMSARA
Ciclo de vidas sucessivas que leva mais ou menos naturalmente ao crescimento e ao amadurecimento. Quando a alma alcança a autoconsciência humana e atinge a liberdade de escolha e a responsabilidade pessoal, seu próprio esforço determinará seu carma (causa e efeito).

Paradoxo
Espiritual X religioso

Espírito – Latim Spiritus – respiração – fôlego – ar.
Religião – Latim Religare – religar, união rápida entre homens e deuses.
 
Pintura de 1525 - "Supper at Emmaus" - artista Jacopo Pontormo
Espiritual e religioso são duas maneiras de se buscar respostas para dúvidas comuns para o sentido da existência humana:

O que somos nós? O que objetiva o viver? Para onde iremos após a morte física? Inicio – meio – fim?

Duas maneiras de se obter repostas para objetivos comuns como: Paz, conforto, iluminação, identidade, sucesso pessoal...

Religião se baseia em respostas prontas, rituais, ética, moral, normas, conceitos – certo/errado – falso/verdadeiro. Disputa de poder, hierarquia, diverge do diferente, induz a culpa.

Espiritualidade busca a conexão com o momento, o agora, com o entendimento e harmonia do seu universo interior e exterior. Busca a sabedoria através de questionamentos do não transformar o diferente em divergente.

Religião é voltada por uma busca de conhecimento EXTERNO – doação do seu poder pessoal a entidades desconhecidas, divergentes, incoerentes e subjetivas.

Espiritualidade é voltada a busca de conhecimento INTERNO – auto descoberta e manutenção do seu poder pessoal e respeito mutuo.

Toda a prática religiosa é espiritual, mas a espiritualidade não necessita da religião.

Religião é uma instituição que ameaça; aterroriza, escraviza e promove conflitos, guerras com a promessa de uma vida eterna.

Espiritualidade é uma vivência que encoraja e traz confiança promovendo a eternidade do espírito/alma.

As religiões cresceram de 1000 (no inicio de 1900) para 10.500 hoje, e deve chegar a 15.000 versões sobre mais um deus, mais um salvador, mais um meio de encarcerar sua alma, nos próximos 25 anos. Esse crescimento bizarro de novas religiões no planeta mostra que o mundo moderno está longe de ser ateu e nem rejeita tanto assim a religiosidade quanto se pensa.

Isso me assusta, pois a função da religião é o engano, o desvio do auto conhecimento, da auto gerencia. Entregar sua alma para SERVIR um Senhor, um governante planetário, não deveria ser a meta dessa sua ultima passagem... Você precisa despertar dessa hipnose. 

Um conselho da tia Laura:
Não despreze ou minimize as coisas que as crianças disserem, mesmo que te pareça não fazer muito sentido, ou apenas produto da imaginação infantil - anote tudo num papel e guarde.

Pode ser que lá na frente, você fique chocado em descobrir a impressão de mais uma alma perdida...

laura botelho



meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos