Google

Translate my page Google

31 de mar de 2011

Um jogo da fé


Nosso cérebro capta o ambiente e ao interagir com ele faz uma rápida associação com o que tem armazenado de experiências anteriores para lidar com o evento do momento – sentir, tocar, ouvir etc
                                        
Devido a urgência da busca pela sobrevivência fazemos uma analise muito rápida das coisas reduzindo significantemente a informação

Nosso cérebro é treinado para reduzir, para que possamos tomar uma decisão – FUGA ou ATAQUE.

E nessa pressa as informações externas conflitam com as que temos armazenadas e quase sempre fazemos a tradução errada ou não tão fiel ao que estamos recebendo.

Devido a inferência visual criamos uma ilusão de ótica por acreditar que já conhecemos o assunto – essa capacidade de nosso cérebro em deduzir extraordinariamente os eventos do ambiente torna a mente confusa e passível de erro, pois estamos apenas analisando partes de um todo da situação, uma mensagem muito limitada sobre o assunto exposto

E num momento de estresse meu amigo... Fazemos julgamentos conforme a nossa crença, a nossa visão de mundo.

O cérebro humano mede o tempo por meio da observação dos movimentos

Se colocar alguém dentro de uma sala branca vazia, sem nenhuma mobília, sem portas ou janelas, sem relógio, sem absolutamente nenhuma informação, o cérebro começará a perder a noção do tempo.

Desesperado, por alguns dias focará a passagem do tempo sentindo as reações internas do corpo, incluindo os batimentos cardíacos, ciclos de sono, fome, sede e pressão sanguínea.

Isso acontece porque nossa noção de passagem do tempo deriva do movimento e repetição de eventos cíclicos, como o nascer e o pôr do sol – da rotina.

É quando você se sente mais vivo. Conforme a mesma experiência vai se repetindo, vai se simplesmente colocando as reações no modo automático – staand by -  e "apagando" as experiências duplicadas.

Isso reforça a idéia da automatização – robôs – nós nos costumamos com tudo, fomos programados para nos acostumar.

Nos acostumamos facilmente com a cor das paredes, com as pessoas a nossa volta, com as palavras, com o cheiro, com a dor, com a falta, com a vida que estamos levando...

Por um lado é bom, pois isso nos faz seguir em frente, mas sem consciência desse mecanismo, de como o meio pode nos parecer banal e vulgar, nos torna seres mecânicos, fazendo a mesma coisa dia após dia.

Ter consciência é estar presente na ação. Esteja presente na sua vida, não deixe que ela passe como se fosse apenas um filme que você já sabe como termina...

laura botelho


LB-5- Um jogo de fé from Laura on Vimeo.


28 de mar de 2011

Escolhas


"Esta geração não passará sem que
todas estas coisas aconteçam." 
Mateus 24:34







Pinky
&
Brain = "Biological Recombinante Algorithmic Inteligência Nexus." 

Daniel H. Pink considera que a era do “Lado esquerdo do Cérebro”, dominada por advogados – contadores e engenheiros de software estão ultrapassados.

O futuro pertence a um tipo diferente de pessoa, com uma mente diferente: Designers, inventores, professores, contadores de história – pensadores criativos e empáticos que usam o “H. direito do cérebro” cujas capacidades determinam quem vai seguir adiante e quem vai ficar para trás.


H. direito do cérebro serão mais valorizadas nessa nova era do que as funções do lado esquerdo do cérebro.

O autor explica que os hemisférios do cérebro não funcionam como interruptores de liga-desliga – em que um se desativaria no momento em que o outro entrasse em ação.

Ambas as partes exercem alguma função em praticamente tudo o que fazemos, mas não temos essa consciência.

Foco determina a predominância de hemisfério

H. esquerdo é seqüencial
H. direito é simultâneo

H. esquerdo é especialmente eficiente no reconhecimento de eventos em série – eventos cujos elementos ocorrem um após o outro como a leitura de uma frase em que você lê palavra por palavra na seqüência

H. direito é especializado em ver muitas coisas de uma vez, em ver todas as partes de uma figura geométrica e aprender a sua forma, ou em observar todos os elementos de uma situação e aprender o seu significado.

H. direito é a imagem
H. esquerdo são as mil palavras para descrevê-la;

H. esquerdo é especializado em texto
H. direito é especializado em contexto –  É nesse aspecto que fica mais clara a complementaridade dos dois hemisférios.

H. esquerdo trata DO QUE é dito, está sempre preocupado com a forma
H. direito se concentra em COMO é dito, o conteúdo, além de ser o responsável pela nossa capacidade de entendermos as metáforas;

H. esquerdo analisa pormenores,
H. direito sintetiza a visão do conjunto

H. esquerdo participa da análise da informação, por reduzir um todo coerente a seus componentes fundamentais,

H. direito é especializado em fazer a síntese, em unir elementos isolados para obter uma visão de conjunto das coisas, em combinar seus componentes para formar um todo coerente.

H. esquerdo converge para uma resposta única e se concentra em categorias

H. direito tem uma visão mais holística, focado nas relações humanas - família e grupo social.

Quando as pessoas fazem desenho com a mão esquerda ampliam o campo de visão e lateralidade do H. direito, fixam a atenção, concentração.

Detalhe é uma especialidade do H. esquerdo, mas ao acessar o H. direito a pessoa é levada um campo de percepção, de desapego, uma sensação prazerosa de liberdade de expressão.

Um estado que promove relaxamento – navegando nas ondas Alphas do cérebro – propiciando insitgs, atenção, soluções criativas, Intuição, paz e concentração para o que está fazendo.

Desenhar com o H. direito do cérebro é estar livre de lógica, sentido, regras e proporções.

H. esquerdo é mecânico e tende a dar razão ao que está fazendo.
Ele também não gosta de processos lentos o que faz com que você tenha que ter muita paciência na tarefa com a mão esquerda.

Se você tem dificuldade em seguir uma aula a menos que seja dada uma grande figura em primeiro lugar, você tem a predominância do H. direito.

A pessoa que faz uso predominante do H. esquerdo do cérebro é uma máquina de lista.

Se você tem a predominância do H. esquerdo do cérebro, você prefere fazer um plano-mestre para seu futuro e fazer planejamento diário. Executa as tarefas em ordem e tem o prazer de verificar-los quando eles são realizados. 

Se você faz uso predominante do H. direito do cérebro, você costuma pular de uma tarefa para outra. Faz mil coisas ao mesmo tempo.

O H. direito do cérebro é sensível a cor
H. esquerdo do cérebro não tem o problema em processar símbolos

O H.direito do cérebro, por outro lado, quer que as coisas sejam concretas, quer ver, sentir ou tocar o objeto real

Pessoas com predominancia do H. direito do cérebro pode ter  problemas para aprender a ler usando o método fônico. Eles preferem ver palavras no contexto, e para ver como funciona a fórmula

Na escrita, é o H. esquerdo do cérebro que presta atenção à mecânica, como ortografia, concordância e pontuação.

O H. direito presta atenção a coerência e o sentido, ou seja, o lado direito do cérebro lhe diz que "sente".
Suas decisões serão baseadas em sentimentos.

O H. direito do cérebro precisa fazer backup de tudo visualmente.
Se não está escrito, eles provavelmente não vão lembrar do que foi dito na aula. 

H. direito do cérebro necessita que desenhe!!
Eles precisam adquirir o hábito de fazer um vídeo mental das coisas como eles ouvem ou lêem. 

O H. esquerdo do cérebro lida com as coisas como elas são - com a realidade e são afetados pelo ambiente, que normalmente se ajustam a ele. 

H. esquerdo quer saber as regras para segui-las. 
Na verdade, se não há regras para situações, que provavelmente irão fazer detalhadamente, se perdem – precisam sempre de uma AGENDA!

H. esquerdo do cérebro sabe as conseqüências da não entrega de documentos em tempo ou da falta de um teste.


Como veem temos que trabalhar muuuuito!!

laura botelho


25 de mar de 2011

A guerra que você não vê - videos

Está legendado, basta clickar para rodar o video e veja no canto direito CC em vermelho - click

Parte 1


Parte 2


Parte 3

Parte 4


Parte 5


Parte 6


Parte 7



24 de mar de 2011

HAARP - uma ficção científica?


Síntese do texto extraído do BLOG Exopolitics

A guerra oculta do HAARP  contra a Indonésia, Haiti, Chile, China e Japão: Qual será o próximo?

por Rubén Martínez Rodríguez- Exopolitics México

23/03/2011
"Cerca de dois anos atrás, eu escrevi sobre as avançados antenas HAARP (High Frequency Active Aurora Research Program) instaladas no Alasca, para a Defesa dos EUA. Para isso consultei o Pentágono"

Muitos se surpreendem com o problema, tomando-a como ficção científica. Científicos em muitos locais do mundo ignoram totalmente essa realidade.

Agora, estão usando a antena HAARP como uma arma ofensiva para provocar catástrofes, terremotos, tsunamis, um negócio de dominação política. 

HAARP como uma arma, agora está atendendo a grupos poderosos para ampliar seu poder. 

Fulford entrevistou alguns anos atrás, Heizo Takenaka ex-ministro das Finanças japonês e lhe perguntou por que eles estavam entregando o controle financeiro das oligarquias de seu país para os EUA e a Europa.

Ele e sua equipe disseram que o Japão havia sido ameaçado de terremotos, experiência causada por uma máquina. Incrivelmente, Fulford  foi informado de que 2 dias depois da ameaça, na cidade de Niigata, dois terremotos de 6,8 graus ocorreram e que a origem destes ataques vieram das antenas HAARP.

Vou lembrar-lhe que as antenas HAARP existem e são a soma de Kvatios de 180 antenas de 72 metros cada, que são sincronizadas com disparos de ondas eletromagnéticas com carga mínima de energia de 3,6 milhões de quilowatts para a ionosfera 

Com HAARP estão atacando de forma sincrônica, o que é politicamente correto aos seus interesses

·         A Indonésia não quer abrir o estreito de Malaka então foi causado um tsunami (26/12/2004)

·         A China concordou com o Brasil comercialmente via Xangai para chegar à segunda potência mundial, então foi aplicado o terremoto na China (14/04/2010)

Não esqueçamos que tivemos o evento mal explicado na Região Serrana – Teresópolis, Friburgo etc no Estado do Rio de Janeiro 12/01/2011 – Brasil (observação de Laura Botelho)

HAARP Região Serrana RJ
·         O Imperador do Japão se reuniu com o presidente chinês, para promover alianças, daí veio o terremoto, tsunami e a crise nuclear de Fukushima. (11/03/2011)

Não é só isso, bolsas de valores do Japão de ações como um terceiro colapso da economia mundial, o iene depreciou-se face ao dólar e Wall Street, curiosamente, se recupera da crise de acordos Japão, e Japão com a China são detidos por agora e sujeitos a piorar. 

O comandante e presidente da Nicarágua, Daniel Ortega marca como assassinos e criminosos os governantes dos EUA, França e Inglaterra pelo ataque contra a Líbia, então foram sacudidos há poucos dias com tremores de 4,8 graus.

Alfred Webre - texto da entrevista com Leuren moret:
A cientista independente chamada Leuren Moret, escreveu um artigo em 2004 que tornou marco no Japan’ Times, expondo as mentiras e distorções por funcionários do governo e da empresa que levou à construção de usinas nucleares em áreas sismicamente perigosas.

Ela disse em uma entrevista exclusiva em vídeo de 65 minutos para Alfred Webre Lambremont que o "terremoto no Japão e “acidentes" nas 6 centrais nucleares em Fukushima, que se deu em 11 de março de 201, são atos deliberados, como parte de uma guerra nuclear.

Focando as placas tectônicas de sensível instabilidade, a meta seria atingir a ecologia das populações do Japão afetando assim todas as nações do Hemisfério Norte, incluindo EUA, Canadá e México.

O terremoto no Japão foi produzido pela HAARP- Aerosol/Chemtrails - arma de plasma, para produzir o vazamento de radiação mega nuclear. 

Outro ponto a se levantar é sobre o vírus Stuxnet projetado para causar um mau funcionamento dos controladores Siemens, projeto usado em algumas usinas nucleares de Fukushima.

Stuxnet vírus também foi usado pela inteligência de Israel - o Mossad - para destruir as centrífugas nucleares no Irã, em Bushehr.

O problema depois do terremoto foi que havia uma avaria nas bombas e válvulas, e os trabalhadores das usinas não puderam acionar essas bombas após o terremoto. Este cyber ataque só contribui para ação da HAARP,  disse Moret
A energia liberada no terremoto do Japão pela ondas provocadas pelo HAARP foi equivalente a 1 milhão de bombas nucleares segundo científicos.

Segunda a Cientista Moret, o equivalente de radiação de 92 mil bombas nucleares entrarão na troposfera, e viajarão dentro de 300 pés de altitude sobre o Japão e os Estados Unidos.

FEMA "evento programado”
Sra. Moret disse que em 10 de setembro de 2001, a FEMA (Federal Emergency Management Agency) "previu" 3 catástrofes futuras nos EUA 2 desses são as operações do 11/09 e Furacão Katrina, produzidos e relacionados com o HAARP.

Desastres mortais previstos foram:
·         O atentado terrorista em Nova York - O HAARP operação de falsa bandeira de 9,11- dirigido com auto ataque às Torres Gêmeas.

·         Um furacão em Nova Orleans - O HAARP melhorou e direcionou o furacão Katrina, a cidade e o porto.

·         Um possível terremoto em San Francisco, através da utilização das antenas da HAARP, localizado no Alasca. THE BIG ONE.

Clifford E. Carnicom, um especialista reconhecido no mundo desde 1999 fala sobre a pulverização de aerossóis na atmosfera (também conhecido como "Chemtrails"), em uma entrevista exclusiva com Alfred ExopoliticsTV.

A operação secreta de pulverização de aerossóis havia transformado a atmosfera da Terra em um plasma para transportar armas, tais como aplicações de bio-guerra (incluindo a doença de Morgellons), operações eletromagnética, como a guerra de baixa freqüência HAARP provocando abalo na placas tectônicas (terremotos), controle mental, a tecnologia avançada de vigilância e detecção de tecnologia de propulsão avançada, incluindo OVNIs.

O excesso de todos os fins da presente operação secreta da pulverização de aerossóis na atmosfera para convertê-lo em plasma, era conseguir "controle absoluto" sobre a população humana mundial

Carnicom afirmou: "A vitalidade e viabilidade da existência humana e da vida neste planeta está em perigo."


Nós estamos sempre nos lembrando da atrocidades do nazistas e não nos lembramos das atrocidades dos efeitos de Hiroshima and Nagasaki. Por que? Porque a versão da história só é contada por quem vence.


Sobre questões relativas a saúde com relação a contaminação de radiação nuclear consulte Health Physics Society





meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos