Google

Translate my page Google

1 de fev de 2011

Descobrindo a imortalidade


Hoje vou falar sobre problemas físicos/emocionais, relativos ao que estamos sentindo ultimamente. Muitos amigos do BOX desse BLOG relatam que estão sentindo cansaço físico, desanimo insônia, sono leve, mal estar generalizado...

Dizem eles que não sabem porque estão se sentindo assim...
Será que não sabem mesmo?

Meus queridos, todos nós sabemos tudo, mas por conta de insegurança pessoal, procuramos respostas fora de nossos arquivos internos, delegamos poderes a outros que nos digam o que fazer quando não temos coragem, força suficiente para romper tratados, romper com comportamentos ditos “politicamente corretos”.

Ou seja, romper com a MATRIX... é muito difícil para aquele que é inflexível. Se você não dobra, muda – você quebra!

Dói! Dói muuuuuito. “É uma dor que dói no peito” – como diria Renato Russo.

Eu nem sei como enumerar tantos sintomas que muitos apresentam. Não faz sentido eu falar sobre todos eles, mesmo porque cada sintoma é pessoal e apresenta uma característica única – é a pura representação material de suas emoções em seus corpos.

Vou relatar os sintomas mais freqüentes de pessoas que me escrevem ou descrevem no BOX.

  • Perturbações ante o sono, insônia desesperada = FUGA
  • Cansado e muito sono depois de acordar. = FUGA
  • Adormecer a qualquer hora do dia = FUGA
  • Repentinas ondas de emoção – vontade de chorar... não se sabe ao certo porque = FUGA
  • Visão diminuída – não enxerga mais as letras como no mês passado = FUGA
  • Oscilação de temperatura corporal- tá frio uma hora e de repente um calor que queima a pele de dentro para fora = ATAQUE
  • Inesperadamente sente-se zangado, danado da vida com tudo e com todos. = ATAQUE
  • Intolerância com os amigos, pessoas próximas e poder público = ATAQUE
  • Adiar coisas essências – sem iniciativa ou disposição para terminar algo = FUGA
  • Necessidade de comer, comer, mesmo sem fome = FUGA
  • Percepção que o tempo não está mais dando para fazer o que sempre fez. = FUGA
  • Necessidade de encontrar um guia espiritual – seja de carne e osso ou em aerosol. = FUGA


Acho que essa lista acima pode ser resumida em apenas uma palavra = MEDO.

Sei que vocês vão ficar brabos comigo dizendo que eu estou enganada, pois muitos descrevem como sintomas de “evolução” de seu “DNA”, pati, patattá... parará, pão doce...

Mas quero informá-los que esses padrões descritos acima são reflexos de um sentimento enorme, apavorante, dilacerante e monstruoso de MEDO

O sistema nervoso autônomo é o principal indicador da reação do organismo aos impactos externos e internos - a partir de mudanças no clima, químicos nos alimentos e na eficiência de absorção de oxigênio para até as preocupações emocionais.

Estamos “morrendo”, literalmente, de medo.

Nosso programa básico instintivo, primitivo, nos diz que temos duas alternativas para lidar com o ambiente – FUGA ou o ATAQUE. Ou fugimos de situações das quais não sabemos lidar ou atacamos por impulso, para defender a vida, as necessidades básicas fundamentais de existência. Ambas são programas para nos manter vivos nessa dimensão.

- FUGA –

Toda vez que nos deparamos com eventos que abalam nossas estruturas, que nos aflige, e nos deixa em conflito interno, a primeira coisa que desmonta é nossa MUSCULATURA.

Os músculos ficam retesados nos impedindo de agir. A melhor escolha “inconsciente” é a de se “esconder” em alguma toca, até que o “perigo passe”. 

Ficamos passivos e lerdos, temos sono, cansaço, mesmo que passemos o dia todo deitado. O corpo todo dói.

Tudo se torna “pesado” demais. Parece que estamos sustentando blocos de chumbo em cada perna, nos ombros, e isso nos leva a dores nas costas, no pescoço, nos joelhos – Veja que é muuuuito “peso” para carregar.

Temos desanimo, falta de apetite, dor de cabeça. A visão fica turva não queremos mais “enxergar” o que temos que ver diante de nossos olhos. A visão fica limitada precisando de uma “lente” que amplie aquilo que rejeitamos como sendo evidente.

Fugimos de tudo aquilo que agrida nossa pretensa segurança, que fuja do nosso controle. Queremos nos afastar dos amigos, dos cônjuges intolerantes, do emprego, da casa, das responsabilidades diárias. Mandar tudo para o espaço com os Grays juntos!

Relaxamos com a nossa saúde, pois nada mais é tão interessante que valha a pena conquistar, salvar, ou gastar energia para mante-la. Conquistar cansa... não temos mais saco para isso.

Sem ter o que conquistar, o negócio então é encher a cara de comida ou de medicamentos mil, para tapar um BURACO NEGRO sem fundo que nos consome e nos leva ao desanimo = depressão.

Sem conquistas, sem metas, sem um futuro para almejar, nos concentramos no ócio ou nas atividades básicas que nos dão prazer temporário.

Nos entregamos a futilidades como brincar com jogos idiotas na internet (usurpando um tempo precioso para aprender coisas importantes), compramos tudo que vemos pela frente, comemos tudo que vemos pela frente, bebemos todas, fumamos mais e mais...

Antes de tudo, não queremos fazer a- b-so-lu-ta-men-te naaaaada!

Fala a verdade? Alguém ainda duvida que essas pessoas estão totalmente perdidas? Sem metas, sem algo que nos impulsione para frente. Não temos por que trabalhar, nem por que existir, daí o organismo faz o que estamos pensando – ele gera o processo de “desligar” gradualmente – ficamos apenas no Stand by

Vamos nos “desligando” das coisas, pessoas, do ambiente, aos poucos, até que enfim, ficamos dementes. Corpos enormes, pensamentos mesquinhos, solidão... e um buraco na alma do tamanho do mundo.

- ATAQUE –

Quando encurralados, ameaçados fisicamente, a grande maioria dos animais parte para o ataque. Já experimentou encurralar um gato num canto de uma sala ou dentro de um armário, numa caixa? Não queira fazer o teste...

Tal qual um animal acuado, encurralado, sem saída, nosso instinto é o de atacar quando somos agredidos por algo ou alguém. Nem sempre saímos por aí com um pé de cabra na mão atacando quem vier pela frente, mas há muitos que o fazem.

Como temos “normas” – programas de civilidade – fomos adestrados a não nos comportar mais como nossos antepassados - os Neandertais. 

Hoje, nos controlamos um pouco mais para chegar as vias de fato – pensamos até 90 antes de baixar a porrada em alguém que nos incomoda.

Mas esse padrão de controle tem um preço, lógico, estamos inibindo um “instinto” gravado em nosso genes.

Lembre-se que O hemisfério esquerdo do nosso cérebro é responsável pelo pensamento lógico, competência comunicativa, projeção para o futuro e organização. Ele odeia caos e precisa de um programa para ordenar o futuro - sem um futuro, ele pifa!

O H. esquerdo controla, domina nosso mundo em 98% de todas as nossas atividades diárias, pois estamos sempre relacionando, categorizando, analisando, julgando e classificando uma informação para colocá-la nas pastas que acreditamos serem importantes para nós, para aquilo que acreditamos.

Diante desse programinha que nos priva de baixar o cacete naquele que está contra nossos interesses, usamos da linguagem verbal e não verbal para afetar, machucar o outro - Isso pode.

Daí a gente xinga, fala grosso e bem alto, gesticula, cruza os braços, faz caras e bocas, ri debochado, joga as coisas no chão, bate porta, ou simplesmente ofende com palavras clássicas e meticulosamente arquitetadas para atingir e dar o golpe fatal.

“você é obscura, tão ignorante e incapaz” ou uma melhor – “Você é tão arrogante e pretensiosa, pensa que sabe tudo! “Fica bostejando coisas que achou no Orkut para impressionar os outros” - Adoro essa, uma das minhas favoritas.

Quem já não ouviu uma frase estúpida e não ficou arrasado?
O H. esquerdo não suporta ser ignorado, perder o controle – não admite ser rejeitado  rejeição é pior que um pé de cabra na cabeça!

E é sobre isso que quero que vocês entendam – estamos sofrendo com as mudanças de paradigmas e permitir que o ambiente nos afete geram as chamadas “doenças” e já disse a vocês que “doenças não existem, são apenas sintomas de uma expressão de sua mente, uma comunicação entre matéria e energia.

Nem todos fogem de problemas, mas atacam quando acuados após suas necessidades de segurança serem violadas, pois têm medo de perder o controle. Dizem palavras que ferem com tal maestria como um estilete afiado. Outros sangram por dentro e fogem...

C'est La Vie...
Nesse mundo onde quase nada é certo (exceto a morte e os impostos), vamos sempre nos deparar com pessoas que fogem ou atacam.  Seus sintomas são clássicos e visíveis.

Eu “adoro” os VITIMIZADOS, os que querem colo o tempo todo. 

Eles sempre dizem: “eu detesto gente que se acha” – “baixa a bola, minha filha, você sabe com quem tá falando?” “Está ficando difícil conviver com gente alienada!” “Gostaria que as pessoas tivessem mais paz e amor no coração” (geralmente quem diz isso não faz a menor idéia do que representam essas palavras – PAZ e AMOR). 
“Você está me ofendo!” “Isso que você disse é pra mim, tá me comparando?”

Pare de se fazer sempre de vítma, achando que alguém está por trás da sua infelicidade. Depositar a responsabilidade nos outros, nos ETs, nos governos, ou no diabo, não irá mudar absolutamente nada seu interior.

Se você quer um mundo justo, comece você a ser justo consigo mesmoSe você quer PAZ, sinta a paz no seu coração – A paz não está lá fora, mas dentro de você!

Faça melhor, troque essa palavra “PAZ” que está ancorada a uma utopia de não guerra, para a palavra serenidade. O ambiente só pode nos afetar se nos colocarmos no lugar de vítimas! Então mantenha a responsabilidade de seus atos.

A expressão “PAZ” tornou-se um conceito complexo, onde alojam múltiplas compreensões, abrindo um campo muito propício para discursos fáceis e emocionalismos barato.

A expressão “PAZ” pode esconder a justificação da violação dos direitos humanos, da pobreza e da miséria, como foi observado na história da humanidade. 

Governos que querem PAZ querem controle, pois o CAOS desorganiza, confunde, desestrura a hierarquia e os negativos não sabem lidar com CAOS, desobediência!

A violência não se exerce unicamente através da agressão física direta ou dos armamentos, mas também através de outras formas menos perceptíveis, mas não menos perversas. Pense nisso.

O universo está remexendo as gavetas, tirando o que está fora de uso dos armários, mudando os móveis de lugar, pintando o teto de outras cores!

Estamos acostumados – programados – a ter ORDEM em tudo = tarefa do H. esquerdo. A “ordem” está implícita no caos. Essa bagunça no seu sistema de crenças é necessária para ativar novos valores, novos ângulos, para que você saia da mesmice, da linearidade, da ordem imposta por eles todos esses milhares de anos!

O que você está sentindo é um tremendo MEDO, uma necessidade de controle sobre aquilo que não pode ser controlado!  Seja bem vindo a quarta dimensão!!!

O universo está mudando e você terá que mudar também!

Evolução espiritual não se trata de sintomas de mal estar, isso que estão sentindo é FUGA!!!!!!  Vitimização !!!!

Se você não consegue dormir é porque sua mente está a mil por hora – estado BETA. Você está numa conversa, num diálogo interno tão intenso que sua mente não tem como desligar – você precisa entrar em Alpha, lembra?

Dormir bem só se consegue com relaxamento dos músculos, ouvindo uma música suave e principalmente – calando o diálogo interno = meditação.

Não confundam com sintomas referentes às mudanças decorrentes das energias do planeta. Esses sintomas são mais difíceis de serem observados por muitos, porque além de fugirem do diagnóstico clássico da medicina cartesiana, são poucos os que revelam estar passando por isso.

São pessoas que não precisam de alimentos e água cotidianamente e continuam muito bem de saúde, mudaram radicalmente sua dieta alimentar, sem carnes de nenhum tipo, sem apresentar nenhum problema ou sintoma clássico de desnutrição/desidratação, não precisam dormir por longo período, pois se sentem revigoradas e dispostas o dia todo.

Estão muito mais ativas fisicamente, bem dispostas fazendo seu trabalho, aguardando com serenidade a qualquer momento a volta pra casa...

Essas pessoas se sentem leves, sem um sentimento ou emoção que as faça ter receio do futuro

Uma sensação descrita em experiências de quase-morte em que as pessoas ao terem seus corpos totalmente sem vida retornam com pensamentos menos materialistas e sem medo da própria inexistência. Ficam mais relaxadas e menos críticas.

Curiosamente uma notícia saiu esses dias num site estrangeiro, de que cientistas podem explicar todos esses fenômenos (quase-morte) em termos de física e ciências biomédicas.

Eu sempre soube que esse dia iria chegar...
Encontraram as respostas na física sobre os plasmas onde descreve a luz branca na experiência de quase-morte.

Segundo suas interpretações, seria como um ponteiro de fluxo eletromagnético em uma dimensão mais elevada do hiperespaço.

Uma projeção de nossa própria energia do ponto zero que continua a viver, mesmo quando estamos na terra, fazendo a nossa pequena viagem da vida. 

Dr. Sam Parnia do Weill, do Cornell Medical Center, um proeminente pesquisador de experiência próxima da morte, autor do livro – “o que acontece quando morremos” - encontrou uma criança de 3 anos que teve uma parada cardíaca e experimentou a morte próxima. Ela foi trazida de volta à vida com sucesso.

A criança depois de restabelecida começou a desenhar uma imagem de uma luz branca com uma corda que ligava a si mesma, o que chamou atenção dos pesquisadores a associação que ela fez com tão pouca idade e informação.

Estamos realmente ligados a essa luz branca (nosso verdadeiro eu) o tempo todo. Na morte, nós simplesmente nos fundimos nesse fluxo de energia e presenciamos os parentes que vêm para nos saudar como guias do universo paralelo. São representantes de nossa família no hiperespaço de onde realmente pertencemos

As pessoas que conhecemos na Terra são tão reais em outra dimensão quanto aqui e continuam a existir eternamente

O crossover (travessia) que essas pessoas falam da vida à morte é um movimento através de um buraco negro no hiperespaço. Será que você consegue entender o que estou dizendo?

O túnel de luz branca é o túnel da singularidade – Nassim Haramein fala muito bem sobre isso. Esse túnel nos guia para o hiperespaço, que traz a continuidade da “civilização” a que pertencemos anteriormente.

Eu já disse e repito – nós não vamos “morrer”,
pois não podemos morrer!

Somos energias presas em um campo de vibração no qual materializa as coisas das quais pensamos. Nós fabricamos nossa realidade! Não sou eu quem diz isso, mas a Física Quantica!

Quando chegarmos ao ponto zero do centro de energia da Terra (isso é para qualquer momento) nossa consciência (tudo aquilo que temos de informação até o exato momento) continuará no hiperespaço, além do túnel mais próximo do buraco negro da singularidade!

O vácuo quântico no hiperespaço fornece aquela agradável experiência que muitos relatam como experiência de quase morte, onde há uma paz inexplicável, permitindo que o nível quântico da energia do ponto zero pule para um nível superior, ou seja, para um salto quântico de conhecimento.

Os físicos estão intrigados com a recente interpretação matemática da singularidade do buraco negro. É uma projeção de nível quântico da transformação de energia de um nível para outro nível. 

Nosso universo 3D ficará pequeno demais para nossa consciência o que resultará num processo de pulo para um nível acima, para dimensões mais elevadas de outra dimensão. Assim na Terra como no céu. Como acontece com os átomos, acontece com a gente!

O fato é que enquanto vivemos nessa prisão vibracional, nossa projeção de sombra (nosso verdadeiro eu) continua sua jornada aos trancos e barrancos, nessa limitada civilização baseada nas experiências terráqueas e informações distorcidas pelos negativos – MATRIX - para que não possamos passar para o outro lado.

Temos que nos manter aqui até o momento final – ponto zero – nem antes, nem depois. Não dá para pegar esse bonde com ele andando, dá pra entender? 

A idéia dos negativos é nos afastar da “luz” e nos levar para fora da Galáxia (a salvo dessa experiência), assim seremos matéria por um bom tempo, uma matéria que se transmutará em outra e outra dando continuação a escravidão espiritual.

Temos que romper esse ciclo reecarnatório!

Até 21 de dezembro de 2012 o mundo irá mudar para sempre, pois os governantes estão sendo pressionados a confessar sua negociação suja com os extraterrestres, os deuses que nos aprisionam.

Idosas - esquimo - Inuits
O Brasil, Índia e China estão tomando a liderança no quesito “despertar” sobre a realidade extraterrestre. Assim diz o jornal Indian Daily - Mihir Sem - 29 de dezembro de 2006 - estamos na frente nesse quesito.


De acordo com as crenças dos povos antigos, todos os seres vivos têm almas.
As crenças do povo esquimó inuits vêm de uma visão de mundo que é desprovida de crença religiosa. De fato, eles acreditam que o universo é governado por nada.

Não há deuses ou criadores, não há punição, nem no mundo neste presente ou futuro; só existe a crença que é melhor resumida pelo o que eles dizem: "Nós não acreditamos e tememos nada."

Ao contrário deles, nossa civilização tem outro lema - "Nós não acreditamos. Temos medo de tudo.”

laura botelho



meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos