Google

Translate my page Google

22 de jun de 2009

Reprograme sua mente em poucos passos

Vou lhe dizer o que eu – laura botelho - acredito que se mudarmos a nossa maneira de ver o mundo – reprogramando-o – podemos ter uma vida numa qualidade superior a de muitos nesse planeta.

Falo de qualidade no sentido de ter consciência = perceber = e mudar a forma de nos comportar. Só aprendemos, assimilamos alguma coisa, quando mudamos nosso comportamento. Aprendizado é mudança de comportamento.

Diria que o que mais queremos e desejamos é ter saúde. Sem saúde não há como fazer ou querer muita coisa, pois ela interfere na nossa maneira de sentir e vivenciar as coisas ao redor. Sem saúde mental e física não há crescimento e viemos aqui para crescer e aprender.

Passo 1 - reprogramar a maneira de entender a saúde. Lembre-se que a qualidade de sua saúde é na verdade a qualidade de vida de suas células. Assim, oxigenar completamente seu sistema parece ser a prioridade número um, e respirar com eficácia é fundamental para boa saúde.

O problema é que a maioria das pessoas não sabe como respirar. E a meditação nos leva a essa técnica. Leve a idéia de saúde perfeita a seu cérebro – subconsciente. Quando se diz reprogramar algo, estamos dando novas formas de pensar ao nosso inconsciente. O nosso consciente acredita que já sabemos tudo, mas não é assim que a coisa funciona. Tudo que somos e pensamos está no subconsciente.

A doença não conhece outro objetivo que não o de nos ajudar a reparar as nossas «carências» e a tornar-nos sãos. Voltar ao equilíbrio de nossas programações é a finalidade da “enfermidade”, pois ela é a mensagem em choque com o que é sua maior verdade.

Se vc acredita que o mundo lhe deve atenção, as pessoas que a cercam lhe devem respeito e consideração por vc ser mãe, pai, mais velho, mais sábio, mais bonito, poderoso... tudo que lhe acontecer que não respeitar essa sua programação entrará em choque com seu subconsciente e lhe fará mal! Vc ficará doente... Toda a infecção é um conflito materializado. 

Acreditamos que o que nos faz mal são as viroses que assolam o mundo. O problema da infecção não consiste na presença de agentes externos - como julgam os fanáticos da esterilização - mas na faculdade, na consciência de se conviver com eles. 
Os vírus e bactérias estão presentes dentro de nós e são responsáveis pela nossa saúde. 
O que nos deixa doente é o nosso desequilíbrio interior que faz com que eles se multipliquem desordenadamente não compreendendo as mensagens que chegam da mente confusa.

Na reprogramação, sua mente inicialmente se rebelará, pois não deseja ser retreinada, ser reprogramada. Mas você está no controle e se, se mantiver firme e concentrado, dentro de pouco tempo o novo modo de pensar ficará estabelecido e será extremamente gratificante tomar consciência de que vc está no controle de sua vida.
Uma das coisas mais fantásticas que devemos saber é que não precisamos saber como vamos nos curar, pois nosso programa de cura sabe como faze-lo, apenas temos que ter consciência que temos o poder de fazê-lo!
A Inteligência Universal ou a mente subconsciente descobrirá o "como". Os cientistas já constataram que construímos um novo corpo de onze em onze meses - portanto, do ponto de vista físico, temos realmente apenas onze meses de idade. Se você constrói um corpo imperfeito, com pensamentos de medo, raiva, ciúme e má vontade, o único responsável será você mesmo.
Vigie seus pensamentos. Cada pensamento aceito como verdade é enviado pelo cérebro ao seu plexo solar - o cérebro abdominal - e trazido ao seu mundo exterior como uma realidade em forma de tumor, diabetes, atrofias musculares, dores etc...
Aprender a linguagem do sitema energético humano é um meio para compreendermos a nós mesmos, um meio para suceder desafios espirituais. Cada zona do corpo transmite energía em uma frequencia específica, detalhada, e quando estamos sãos, todas estão “sintonizadas harmónicamente”
“Meditamos para encontrar, recuperar, ou retornar a uma sabedoria e uma felicidade que inconscientemente sabemos que possuímos, embora os conflitos e desafios da existência as tenham empurrado para um canto escuro de nossa cabeça”. (Lawrence LeShan)
Passo 2 - reprograme seus valores. Quais são os seus valores: O dinheiro é seu maior valor? A saúde? A sua familia? Sua carreira? 
Sua saúde depende do que vc acredita ser seu maior valor nessa vida. Reavalie e reprograme essa idéia.

Passo 3reprograme sua forma de ver as coisas. Como vc encara as coisas que vê? Pessimismo (acredita que as coisas não são fáceis de serem resolvidas, a coisa é muito complexa) Otimismo (acredita que tudo é possível, desde que tenha muita fé e faça a coisa acontecer) 

Passo 4reprograme a maneira como vc recebe a informação. Se vc é do tipo que não aceita aquilo que não for essencial para sua vida (sua programação)… como conhecerá uma nova visão?

Temos que ter os dois lados da questão para avaliar o que é mais pertinente a nossa vida. Procure o equilibrio!! Essas são as mais importantes para começar. Diria que é fundamental a maneira de ver as coisas. Cada pessoa é única no planeta e cada um de nós tem uma visão diferente do ambiente que o cerca.
Aprender a ver é ter conhecimento. Só vemos aquilo que conhecemos.
Reprograme essa idéia! 

laura botelho

18 de jun de 2009

Nomes que vc deve conhecer


Aqui estão os nomes de figuras, personagens do nosso cotidiano que  trabalharam para nos trazer a melhor informação para nosso crescimento, desenvolvimento espiritual.

São nomes que vc deve saber, e procurar pesquisar para obter mais respostas as sua dúvidas. Cada um trás uma informação sobre quem somos nós, de onde viemos e para onde vamos.




Edgar Cayce nasceu nos Estados Unidos em 18 de março de 1877, foi o mais famoso sensitivo já nascido neste país. Quase todas as faculdades psíquicas de Edgar Cayce se manifestavam sob o estado de transe, quando ele entrava como que em um sono hipnótico, fato que lhe rendeu o título de o profeta adormecido. Edgar ficou conhecido também pelas milhares de mensagens que dava, que tratavam de medicina, moral, espiritualismo, interpretação de sonhos e profecias. Falececido em 5 de janeiro de 1945, deixou uma média de 30 mil textos que foram taquigrafados por uma secretária que sempre o acompanhava em seus transes.


Zecharia Sitchin (1920 - 2010) autor de vários livros que defende a versão de que a origem da humanidade é extraterrestre e aos "annunaki" (ou "nefilim"), uma raça extraterrestre nativa de um planeta chamado Nibiru, que se encontraria nos confins do Sistema Solar. Sitchin adquiriu conhecimentos do hebraico antigo e moderno e outras línguas européias e semíticas. É perito em leitura do Velho Testamento e da história e arqueologia do Oriente Próximo. Foi jornalista e editor em Israel durante muitos anos, vivendo atualmente na cidade de New York, onde edita seus livros.









Robert Dean (Bob Dean)
Orel Robert Dean (1929), também conhecido como Bob Dean, é um Sargento Major do Comando no exército dos E.U aposentado que se tornou notável e ilustre conhecido em círculos de Ufologia depois que ele alegou ter tido acesso a "Cosmic Top Secret" - documentos que detalham a atividade alienígena na terra. Agora Bob dá palestras em ufologia do mundo inteiro e tem sido descrito como um dos mais importantes representantes da comunidade Ufológica.Dean acredita que o governo dos Estados Unidos está activamente suprimindo informações sobre suas interações com as civilizações alienígenas, incluindo a sua posse de tecnologia alienígena e formas de vida, através de campanhas de desinformação e de sigilo.















16 de jun de 2009

As cinco leis biológicas do Dr. Hamer - Metamedicina

O que para a Medicina convencional ve no agravamento da “doença”, é na verdade sua cura.


As 5 leis biológicas sobre as quais se fundamenta a nova medicina nos mostram os critérios segundo os quais toda doença se gera e se desenvolve contemporaneamente em três níveis: psíquico, cerebral e orgânico


Todo câncer, ou doença onco equivalente, é gerada por um choque extremamente agudo, inesperado, dramático e vivido no isolamento. Não conflitos normais, como aqueles que todos nós temos, mas conflitos inesperados, traumáticos, que não nos deixam o tempo de reagir, aqueles que Hamer chama conflitos biológicos


Para compreender esta sincronia coloquem suas mãos juntas como quando se reza. Depois fechem uma das duas em punho. Esta representa o cérebro, e a outra o corpo. Imaginem agora as duas mãos como se olhassem no espelho, quando se verifica o choque aquilo que acontece em uma acontece também na outra. 


 1 – as mudanças que se verificam durante a doença acontecem contemporaneamente em três níveis. 
 2 – conhecendo bem um dos três, será possível determinar exactamente os outros dois, isso significa que no cérebro, através da leitura de um TAC, encontramos seja o fotograma que a filmagem da evolução da doença (um modo de interpretá-la, o método de Hamer, nos faz recordar outros, entre os quais a reflexologia, a iridologia, a auricoloterapia, a massagem local com as mãos e tantos outros, tantos quanto são os microcosmos de um organismo vivente, se é verdade que na menor célula se pode, ou se poderá, ler a história do inteiro macrocosmo que a compreende) 


Após o choque existe um período de conflito, de stress, em que o tumor é activo (mas frequentemente não se percebe) se dorme pouco e mal, não se tem fome, não se transpira, se urina pouco, se perde peso, pés e mãos são frios (simpaticotonia).



Quando para uma razão qualquer, o conflito acaba, segue a fase de reparação chamada ainda de relaxamento, em que se dorme tantíssimo, se transpira muito, se urina muito, se alimenta bem, se readquire peso e se tem pés e mãos quentes (vagotonia) é a este ponto que se percebe a “doença”. 


No meio desta última fase a vagotonia é interrompida pela chamada crise epileptiforme (infarto, embolia pulmonar e icterícia) que representa a “virada do timão” em direção à normalidade. 


Deste momento se a crise epileptiforme vem superada positivamente, o organismo inicia lentamente a retornar ao ritmo normal (normotonia). 


3ª Lei (sistema ontogenético dos tumores e das doenças oncoequivalentes) 
O câncer (e a doença) são uma resposta biológica a uma ordem sensata da natureza. 
De acordo com o tipo de choque sofrido partes do cérebro e relativos órgãos são acionados. Cada conflito há um seu preciso conteúdo, que se define no instante do choque. 


A diversidade deste conteúdo é aquela que determina o acrescimento dos tecidos ou a chaga, a úlcera. Cada órgão é coligado a um bem preciso “relé” no cérebro, e no instante do choque este relé se ativa e a doença se manifesta contemporaneamente a nível psíquico, cerebral e orgânico


Na fase ativa do conflito (simpaticotonia), o cérebro recente produz necrose ou a úlcera nos tecidos, enquanto o cérebro antigo produz tumores compactos com a proliferação celular. Ao invés, na fase de solução do conflito (vagotonia) sucede o contrário, o cérebro recente enche as necroses e as úlceras com o uso de vírus, bactérias, inchaços e produção de cistos enquanto o cérebro antigo reduz os tumores por necroses (com o uso de fungos e microbactérias). 


4ª Lei (sistema dos micróbios condicionado ontogeneticamente) 
Agora os micróbios assumem a função de eliminação do tumor que, havendo terminado o seu dever, não é mais necessário e então deixou de proliferar. Após a solução do conflito de fato, inicia a fase de reparação, serão fungos e microbactérias que transformarão o tumor em massa necrótica sem mais nenhum desenvolvimento, serão invés os vírus e bactérias que ativarão a “cicatrização” das chagas e úlceras


A medicina oficial interpreta esta fase como um agravamento da situação e não como a fase em direção à cura.
5ª Lei (bom senso biológico) 
O câncer, a doença, é portanto uma parte de um programa especial, biológico sensato da natureza. Não é (no caso do tumor) um crescimento casual, louco, selvagem de células enlouquecidas, mas sim um processo totalmente compreensível e realmente previsível que se apóia nos dados da evolução ontogênica.


Antigamente se dizia: deixem que a doença faça o seu curso. Segundo Hamer precisa adquirir a lucidez necessária para entender em qual fase se encontra, antes de decidir alguma coisa.


Se se adquiriu o conhecimento deste percurso, se servirão interventos clínicos e farmacológicos aptos a atenuar dos sintomas físicos excessivos ou mal tolerados. 
Intervenir com quimioterapia ou radiações significa interromper, alterar, desequilibrar um percurso biológico, sensato e útil que a natureza estabeleceu que deve ser cumprido até o fim.
Vem à luz que terapias suaves como: o ascorbato de potássio, o cloreto de magnésio, os imunoestimulantes atóxicos, o áloe etc., podem dar frequentemente resultados positivos. 
São terapias que portam ajuda ao organismo afadigado durante o seu percurso biológico e sensato que chamamos doença, que o sustentam sem desequilibrar, sem envenenar, e sem criar pânico excessivo. 
Se o câncer e a doença são portanto a resposta biológica a uma ordem sensata do cérebro, não existe nenhuma substância cancerígena que o provoca 

(2), nenhuma célula enlouquecida, nenhuma doença incurável que cria metástase.
(3); conhecendo o inteiro decurso da doença e dos seus processos cada um de nós pode ser o diretor/protagonista da própria doença. 

CONSELHOS 
1. Racionalizar que nada é casual 
2. Entender qual choque deu origem ao tumor 
3. Entender em que fase a doença que se encontra À luz dos pontos 

1) e 2) reflectir sobre quanto seja ainda necessário fazer, e quanto ao invés será absolutamente evitado. 

1) Ontogênica: a evolução das simples espécies até àquela humana se encontra reproposta na fase embrional. Nós conhecemos no desenvolvimento embrional três diferentes folhetos dos quais derivam todos os órgãos: o endoderma (interno), o mesoderma (no meio) e o ectoderma (externo)

Cada célula do organismo e cada órgão do corpo se pode reconduzir pela sua formação histológica em um destes três folhetos

Endoderma (e órgãos coligados) tem os seus “relés” no tronco cerebral (a parte mais antiga) do cérebro, em caso de tumor haverá tumores sólidos. 

Mesoderma (as células do grupo mais antigo) tem o seu relé no cerebelo e (as células do grupo mais recente) no miolo cerebral, em caso de tumor haverá tumores sólidos no primeiro caso e necrose ou buracos no segundo. 

Ectoderma tem o seu relé na parte mais recente do cérebro, o córtex cerebral; em caso de tumor haverá chagas ulcerosas

Substâncias cancerígenas? 
Segundo Hamer não existe nenhuma prova da existência de substâncias cancerígenas. 

As argumentações de apoio a estas teses são:

 a) não é possível provocar tumores em órgãos nos quais as conexões nervosas com o cérebro foram talhadas órgãos transplantados 
b) as substancias inoculadas nos animais para induzir o câncer não induzem nada se não tem o intervento do cérebro. 
Estas podem destruir, envenenar, mas não induzir o tumor

A experimentação da fumaça do cigarro em cricetideos e ratos confirma tudo isto: - 6.000 cricetideos expostos à fumaça dia e noite por seis anos viveram em média por mais tempo que os seus co-irmãos não submetidos ao tratamento (segundo Hamer porque habitam debaixo da terra, não codificaram no cérebro um sinal de alarme para a fumaça, e, portanto não aquisitaram, durante a sua evolução, “o programa especial, biológico e sensato do perigo do fumo”) - para ratos domésticos advém exatamente o contrário. 
Á mais pequena emissão de fumaça vem tomados pelo medo/pânico de morrer e fogem porque, ao longo do seu caminho evolutivo a fumaça aquisitou um sinal de alarme. 

Podemos dizer que em ratos se pode induzir um carcinoma alveolar no pulmão provocado por um conflito de medo pela morte (e é próprio por estas razões que Hamer considera uma inútil tortura a experimentação em animais que se supõem privos de psique e de emoções!) O mesmo discurso vale para a radioactividade. 

As radiações destroem as células, mas não provocam os tumores. 
Por quanto referente á alimentação, Hamer afirma simplesmente que um organismo bem nutrido é em grado de reagir melhor aos conflitos. 

3) Metástase : segundo Hamer as metástases são novos conflitos provocados por novos choques conflituais, provocados, isso é, pelo choque de diagnose e prognose médicas aparentemente incombatíveis. 

O paciente em que vem diagnosticado o câncer vem tomado do pânico do “bruto mal que prolifera em modo anárquico e do qual aparentemente não tem escapatória”, e este “pânico” seria o novo choque á origem daquelas que se chamarão metástases. 

Extraído da Nexus New Times ed.Italiana n. 26 Referimentos: Comunicato Andromeda n.77/2000


10 de jun de 2009

Fechem as casas de parto!

Não me surpreende o fato do CREMERJ – Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro - ter fechado a Casa de Parto em Realengo, Zona Oeste do Rio. Não entendo o espanto? 



A casa tem que ser fechada, senão desvia os recursos financeiros que deveriam abastecer os hospitais. Os planos de saúde perdem com isso. 
São menos gestantes – leia-se = Famílias - a pagarem um plano eterno de saúde. 

Olha quando dinheiro desviado das grandes empresas de seguro Saúde. São mais de 1.300 no país.
A cada dia novas famílias são geradas na nossa sociedade e é necessário um bom “PLANO” de saúde para assegurar que elas sobreviverão a todo tipo de mazelas futuras. Desde que o mundo existe bebes são postos no mundo a cada segundo – quer a CREMERJ queira ou não!

Mas você deve estar pensando... “Mas muitos bebes e mães morrem também nos partos”. É claro! Quem disse que não morreriam? Quem nos disse que viveríamos para o SEMPRE? 

Quem nos disse que não passaríamos um dia sem enfermidades em nossas vidas? Quem nos disse que somos imortais? Vida é risco! Alguém já lhe disse isso antes? Temos que nos acercar, nos interar sobre os riscos, é obvio, mas viver sem risco é impossível.

Os riscos nos fazem vencer, lutar para o desenvolver. A vida é um eterno desenrolar de problemas. Só aprendemos fazendo, sentindo, vivenciando. Mas ninguém quer viver, ou melhor, sentir aquilo que não é bom. Buscamos apenas o prazer, um sentimento de satisfação imediata e segura, assim a vida faz sentido...

Estamos ensinando a nossos filhos a serem covardes! Uma geração de covardes! Estamos ensinando nossos filhos a não enfrentar a dor, a não reconhecer a dor. O que infelizmente é impossível, pois devemos entender a palavra DOR como um sentido de alerta, uma reação orgânica intensa que nos desvia da destruição do mesmo.

A palavra DOR é muito subjetiva, pois cada indivíduo apreende a aplicação da palavra através de experiências relacionadas com lesões nos primeiros anos de vida, portanto, estamos ensinando a nossos filhos a evitar a dor, a não conhece-la a qualquer preço. 

Enxergamos bactérias, vírus, fungos e parasitas em todo lugar. O mundo é sujo e nocivo. As doenças estão por toda parte. Temos que lavar nossas mãos com sabonetes antibacterianos para nos livrarmos de qualquer mal vindo da rua. Todo lugar está infestado de vírus e bactérias que podem nos matar a qualquer momento. As tintas e massinhas que nossos filhos brincam na escola devem ser antialérgicas. O quarto de nossos bebes devem ser purificados e desinfetados. O ar que respiramos está todo contaminado.

A areia e a terra devem ser evitadas para não contaminar nossas crianças. Os animais devem ficar longe delas, pois são sujos. O andar mais alto do edifício é o lugar mais seguro de morar, pois os mosquitos não chagam lá. Mosquitos trazem vírus da dengue e outros. Nossas crianças devem aprender desde cedo a não se machucar – isso dói. 

As tesouras e facas devem ser removidas de suas vistas, pois eles não sabem o que fazer se algo lhes cortar a pele. São burros demais para se autocontrolarem e procurar ajuda. 

Os móveis não devem ter pontas. 
As escadas e sacadas devem ter proteção, pois nossos filhos são estúpidos demais para saber se defender de uma queda. Eles não sabem o que é uma boa queda, pois nunca caíram de uma árvore, de um muro. 

Nossas crianças não sabem nem identificar um osso quebrado. Algumas nem sentem tanta dor assim, pois estamos lá para lhes tirar qualquer sofrimento, vamos tirar chapas, passá-los num aparelho de ressonância magnética para constatar – “Ah, não disse que você quebrou!” Uma geração de covardes! 

Medo do parto. Medo do sentir aquilo que nunca sentiu. Um paradoxo de sentimentos paira nessa nova era.Uma coisa que nos foge da consciência.



Pessoas procuram diariamente clínicas para mudar seus corpos. Querem ter seios diferentes, nádegas, narizes, coxas diferentes. Colocar piercing em lugares nunca antes imagináveis. Tatuagens imensas duram horas sobre agulhas. 

Será que ninguém sente dor? Muitos vão dizer que essa dor é diferente. Eu concordo, é uma dor controlada pela mente. As pessoas descobriram, sem ter consciência, disso que a dor pode ser controlada, basta que você tenha uma crença, uma fé naquilo que deseja. 

E a crença, a fé é fazer parte do sentimento da massa humana, ou seja, fazer o que todos estão fazendo. Inconsciente coletivo, diria Jung. Esse mesmo inconsciente coletivo é que nos leva a creditar que não podemos nos curar. 

Que não podemos ser livres de PLANOS DE SAÙDE. É esse mesmo inconsciente coletivo que nos diz que ter um filho de parto normal é ruim, dói e mata

Pense um pouco. Leia mais. Desligue a TV. Acredite na sua saúde. Acredite que você tem o controle de seu corpo. Deixe seu filho aprender o que é a dor por ele mesmo, ou alguém vai ensiná-lo. 

 Laura Botelho

9 de jun de 2009

24h de tráfego aéreo no mundo

E a gente preocupado com a queda de um ou dois aviões... Vídeo criado pela Escola de Ciências Aplicadas de Zurique simula o tráfego aéreo no mundo em 24 horas.

meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos